Capa EURASC

Academy of Sciences of Lisbon will host the annual EURASC Symposium

The Academy of Sciences of Lisbon will host the next annual Symposium of the European Academy of Sciences (EURASC) (in-presence format) to be held on October 29-30th of 2024, under the General Theme of “Science for Sustainability” which is aligned with the UN Sustainable Development Goals.
The Organizing Commission comprehends the Presidents of both Academies, and the Symposium is chaired by a Portuguese member of both of them.
It is an international Symposium with contributions of well recognized scientists on a diversity of fields of science from various European, American and Asian countries.
Fostering the interaction of the academic and industrial sectors, the programme also includes contributions from startup and other companies oriented to sustainability issues.
The edition of a celebratory book on Science for Sustainability (to be published by a major world publisher) is also planned within the celebration of the EURASC 20th year anniversary.
Registration and abstract submission are welcome and open at the website – Here

Noticia_Sapea_Arlindo_Oliveira_2024

Arlindo Oliveira (IST-UL) nomeado pela Academia das Ciências de Lisboa para relatório da UE sobre Inteligência Artificial na Ciência


O Professor Arlindo Oliveira, do Instituto Superior Técnico (IST), foi nomeado pela Academia das Ciências de Lisboa (ACL) para integrar um grupo de trabalho internacional encarregado de elaborar um relatório sobre a adoção responsável e oportuna da Inteligência Artificial (IA) na ciência na União Europeia (UE).

A importância da Inteligência Artificial na Ciência

A IA emergiu como uma ferramenta revolucionária que permeia todas as esferas da sociedade, com uma aceleração notável nos últimos dois anos. A IA traz consigo poderosas oportunidades, mas também desafios e riscos, enfatizando a importância de políticas adaptadas. Neste momento crucial, o Regulamento da UE sobre a IA promete ser o primeiro quadro jurídico de sempre sobre a IA, posicionando o continente num papel de liderança para enfrentar os riscos da tecnologia. As aplicações de IA estão a permear rapidamente a investigação científica em praticamente todos os campos, acelerando a descoberta científica e a inovação através de conjuntos de dados colossais e acesso a infraestruturas computacionais extremamente poderosas. Paralelamente às enormes oportunidades da IA para a ciência, estão em curso discussões e debates nas universidades, ponderando as oportunidades face aos potenciais riscos da IA para a fiabilidade, reprodutibilidade e transparência da produção científica e da nossa futura base de conhecimento.

Sobre o relatório

Este relatório analisa o panorama atual, examina os desafios e oportunidades existentes associados à adoção da IA na ciência, analisa o impacto da IA nos ambientes de trabalho e competências dos investigadores, e propõe opções políticas para enfrentar os desafios identificados. O relatório baseia-se numa base abrangente de evidências, estabelecida através de uma extensa revisão da literatura e posteriormente enriquecida por três workshops de especialistas realizados entre o final de 2023 e o início de 2024.

Um reconhecimento do mérito da investigação portuguesa

A nomeação do Prof. Arlindo Oliveira por parte da ACL é um reconhecimento do seu mérito na investigação portuguesa nas áreas relacionadas com a Inteligência Artificial. A ACL agradece a sua participação na elaboração deste relatório que pode ser consultado no site da ACL aqui.

Medalha de Mérito Científico (1024 × 1024 px) (1920 x 1080 px) (2)

Luís Oliveira e Silva é premiado com a Medalha Blaise Pascal em Física

Luís Oliveira e Silva, sócio correspondente da secção de Física da Classe de Ciências, recebe a Medalha Blaise Pascal em Física 2024, atribuída pela European Academy of Sciences, pelas suas “contribuições excecionais na área da física dos plasmas, em particular no campo das interações de feixes de partículas e lasers”.
A entrega da medalha decorrerá na Academia das Ciências de Lisboa em 29/30 de outubro de 2024, no âmbito de uma conferência promovida pela European Academy of Sciences.
Muitos parabéns ao académico Luís Oliveira e Silva por mais este reconhecimento da qualidade do seu trabalho científico!

Dia Internacional dos Museus na Academia das Ciências de Lisboa (2024) (1920 x 1080 px)

Dia Internacional dos Museus

O Museu Maynense abriga uma ampla coleção associada às atividades académicas e científicas realizadas na Academia das Ciências de Lisboa ao longo de mais dois séculos. Instalada nos espaços do antigo Convento de Nossa Senhora de Jesus, erguido desde os finais do século XVI, esta instituição tem o privilégio de salvaguardar coleções de variada natureza, rodeadas de história. Uma vez que o edifício encerra aos fins de semana, o Museu Maynense convida-o a visitar este património histórico e científico único, em celebração do Dia Internacional dos Museus, na próxima segunda-feira, dia 20 de maio.

  • Ao visitar os espaços do nosso museu neste dia especial, poderá ainda ficar a conhecer o nosso claustro e Salão Nobre (Antiga Biblioteca Conventual).
  • O Museu estará aberto todo o dia, entre as 9h e as 17h, em regime de visita livre. A entrada é gratuita!
  • Para conhecer os nossos espaços por favor dirija-se ao 1º andar do nº 19 da Rua da Academia das Ciências de Lisboa, onde se encontra a receção.
Maio_Destaques Bib.

Destaque da Biblioteca | Estudos Ampelographicos Monographia

Mergulhe na rica história da viticultura portuguesa com o manuscrito original e assinado “Estudos Ampelographicos: Monografias de João Marques de Carvalho”, datado de 1910. Este tesouro histórico, escrito por um sócio correspondente da Academia Real das Ciências de Lisboa, oferece um estudo detalhado e aprofundado da área, enriquecido por desenhos a tinta da China que ilustram com mestria os conceitos explorados.

O documento pode ser consultado no catálogo online da Biblioteca da ACL aqui.

Museu ACL 2024_destaques (5)

Destaque do Museu | Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Alabastro.

Originado nos Estados Unidos da América, o Dia da Mãe foi oficializado como data comemorativa nos inícios do século XX. Em Portugal, Inicialmente a comemoração era celebrada a 8 de dezembro, dia da Imaculada Conceição, mas foi alterada para o primeiro domingo de maio na década de 1970.
Para assinalar a data, destacamos uma escultura de vulto representativa da Nossa Senhora da Conceição, um dos títulos conferidos à Virgem Maria. Executada em alabastro, com ornamentação dourada, a simbologia da figura está frequentemente associada ao amor, dedicação e maternidade.
O Museu Maynense deseja a todos um Feliz Dia da Mãe, data que celebra não só mães, como as diversas figuras maternas e femininas com as quais temos contacto ao longo da vida.
Aproveite para conhecer o património da Academia das Ciências de Lisboa e o seu Museu, todos os dias úteis, exceto feriados, entre as 14h00 e as 17h00.

AH_2024_Maio_Destaques

Documento do Mês (AH) | maio

Ofício da Academia das Ciências dirigido a D. Maria I dando conta dos trabalhos literários, requerendo privilégio para impressão e publicação dos mesmos

Código de referência: PT/ACL/ACL/C/016/000008

Após a fundação da Academia das Ciências de Lisboa com o beneplácito régio, expresso em aviso datado de 24 de dezembro de 1779, importava aos académicos definirem linhas de atuação relativas à organização e publicação bibliográfica da instituição “que pelo decurso do tempo lhe parecerem dignas, e úteis ao Público”.
Em ofício dirigido a D. Maria I (r. 1777-1815), apresentam-se os trabalhos empreendidos e aqueles que procurará, no futuro, desenvolver. A par da publicação das “Memórias”, contempladas no Plano de Estatutos (1780), e do primeiro volume do Dicionário da Língua Portuguesa (1793), refere-se ainda como objetivo a impressão de obras literárias e de documentos inéditos da história portuguesa, bem como da edição de uma publicação periódica de notícias literárias, que comunicasse os adiantamentos mais recentes da Ciência portuguesa. Considerando o volume dos trabalhos e os custos de impressão associados, requerem junto de Sua Majestade prerrogativas específicas para salvaguardar a exclusividade de impressão dos trabalhos literários oferecidos e assegurar que nenhum outro periódico incluísse notícias “que directamente dizem respeito à perfeição e augmento das Sciencias e das Artes, por meio de descobrimentos novos, viagens, publicação de livros e programas da Academia”. Requeriam ainda os académicos privilégio para a composição e edição de um mapa civil e literário, que em jeito de almanaque, dessa “notícia dos nascimentos, empregos e assistência” informando acerca dos principais serviços do Reino.

primeiro_aniversario_dlp_acl

Dicionário da Academia digital celebra o seu primeiro aniversário com mais de um milhão de acessos

Em apenas um ano, o Dicionário da Língua Portuguesa (DLP) da Academia das Ciências de Lisboa registou 1,3 milhões de acessos, uma conquista alcançada graças ao empenho da equipa do Instituto de Lexicologia e Lexicografia da Língua Portuguesa (ILLLP). As consultas, provenientes de 87 países,  atestam o DLP como uma ferramenta fundamental para o conhecimento e difusão da língua portuguesa em todos os continentes. É ainda importante destacar que a ampla adesão e a relevância deste recurso lexicográfico resultam dos valiosos contributos enviados pelo público. Estas contribuições têm sido essenciais para o contínuo melhoramento  do dicionário. «A resposta do público ao nosso apelo tem sido notável, refletindo-se não apenas num retorno positivo, mas também profundamente construtivo», considera Ana Salgado, presidente do ILLLP e investigadora do Centro de Linguística da Universidade NOVA de Lisboa.

O DLP é fruto da revisão e atualização contínua do Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, originalmente publicado em dois volumes em 2001, agora em versão digital. Atualmente composto por cerca de 102 mil entradas, apresenta aproximadamente 225 mil definições, classificações gramaticais, sinónimos, informação sobre a origem da maioria das palavras e muitas outras curiosidades.

«O envio de novas entradas e sentidos pelos nossos utilizadores tem sido crucial para a atualização do DLP, refletindo um trabalho colaborativo. Diariamente, registamos palavras novas, como, por exemplo, sovietologia, israelo-palestiniano, biocapacidade, transumanismo, tecnofobia, tecnofilia, élfico, dataísmo, chatbot, parkour», refere Leonor Martins, bolseira do ILLLP e colaboradora do Centro de Linguística da Universidade do Porto (CLUP). Ana Salgado, coordenadora do dicionário, acrescenta que: «Entre as palavras mais pesquisadas, destacam-se: idadismo, desnazificação, micromachista, ciberassédio, ciberataque, prequela e estagflação. Estes vocábulos não só refletem os avanços e desafios da nossa sociedade, como também são um convite à exploração de novos horizontes.» Por sua vez, Leonor Reis, também bolseira do ILLLP e colaboradora do Centro de Linguística da Universidade NOVA de Lisboa, destaca: «A prioridade tem sido registar vocábulos que continuam em falta e cuja dicionarização se impõe, mas há também espaço para o registo de regionalismos, como abaladiça, abelhinha, chancas, corisca, estorrina, farfalhos, jacó, marafado, requitó, tratuário, entre muitos outros.» As duas bolseiras do ILLLP dedicam-se não apenas ao trabalho lexicográfico stricto sensu, mas também à divulgação dos conteúdos por meio das redes sociais, procurando divulgar o recurso e responder a potenciais dúvidas dos utilizadores.

«Embora o retorno seja bastante encorajador, é importante salientar que continuamos a enfrentar desafios significativos na obtenção de financiamento para sustentar o desenvolvimento contínuo deste valioso projeto», remata Ana Salgado, presidente do ILLLP.

Neste primeiro ano de existência no digital, o DLP não apenas consolidou a sua posição como um recurso lexicográfico de referência, como também demonstra o seu papel vital na promoção e preservação da língua portuguesa em todo o mundo. Este marco é motivo de celebração não apenas para a Academia das Ciências de Lisboa, mas para todos os amantes da língua e cultura lusófonas.

Academia das Ciências de Lisboa

Instituto de Lexicologia e Lexicografia da Língua Portuguesa

Para aceder ao dicionário: https://dicionario.acad-ciencias.pt/

Contacto: illlp@acad-ciencias.pt

eugenio_lisboa

Eugénio Lisboa (1930-2024)

Com profunda mágoa lamentamos informar que faleceu Eugénio Lisboa, sócio efetivo da Classe de Letras da Academia das Ciências de Lisboa.
Natural de Moçambique, engenheiro eletrotécnico de formação e de início de profissão, foi como poeta, ensaísta, memorialista e crítico literário que Eugénio Lisboa se impôs como figura marcante da cultura portuguesa, especialmente pelos escritos dedicados à obra de José Régio. Foi durante 17 anos conselheiro cultural na Embaixada de Portugal em Londres. Presidiu à Comissão Nacional da UNESCO entre 1995 e 1998. Um dos seus últimos livros publicados (Vamos Ler – um cânone para o leitor relutante. Lisboa: Guerra & Paz, 2021) é um admirável hino ao prazer da leitura, que procurou incutir aos seus leitores, mais ou menos relutantes.
A Academia das Ciências de Lisboa presta homenagem a este seu ilustre membro e apresenta à família sentidas condolências.

xr:d:DAF8kx6234M:16,j:3834112884625816578,t:24040310

Dicionário Histórico-Biográfico Disponível em Formato Digital

O Dicionário Histórico-Biográfico da Academia das Ciências de Lisboa (DHB) é uma obra de referência que reúne informações biográficas sobre os membros da Academia, desde a sua fundação em 1779 até à atualidade.
Organizado por entradas dedicadas a cada membro, o DHB inclui dados biográficos relevantes, atividades académicas e profissionais, e bibliografia ativa e passiva. Além disso, oferece verbetes temáticos (a facultar oportunamente) sobre os núcleos institucionais da Academia e balanços historiográficos sobre períodos ou temas importantes da sua história.
Brevemente, o DHB disponibilizará funcionalidades de pesquisa avançada que permitam a pesquisa por nome, categoria de sócio, cargos diretivos, período histórico e classe/secção. Nas referências bibliográficas de cada entrada será criada uma hiperligação à pasta digitalizada do processo académico de cada membro que se conserva no Arquivo Histórico da ACL.
Pretendendo ser uma ferramenta de pesquisa fundamental para estudos sobre a história da Academia e da ciência e cultura em Portugal, o DHB será atualizado periodicamente com novas entradas e recursos. Está também prevista a publicação futura de uma versão impressa.
As primeiras 100 entradas do DHB já estão disponíveis em acesso aberto aqui.

Convidamos todos a consultar o DHB e a contribuir com sugestões e comentários.
Esperamos que esta ferramenta seja útil para a comunidade académica e para todos os que se interessam pela história da ciência e da cultura em Portugal.